Aposta em privatização faz ações das estatais dispararem

Frente à possibilidade de eleição do candidato Jair Bolsonaro (PSL), os investidores da Bolsa de Valores ficaram animados e concentraram suas compras em ações das principais empresas estatais brasileiras (Petrobrás, Eletrobrás e Banco do Brasil). A expectativa é de que os preços das ações disparem, tendo em vista as declarações do candidato em adotar uma agenda liberal de reformas e privatizações em todos os setores econômicos.

Analistas preveem que após o segundo turno, as ações preferenciais da Petrobrás podem chegar a R$40, alcançando uma valorização de 49% em relação ao preço do fechamento de ontem (09) R$26,82. Esse cenário estaria baseado no volume de compra e vendas das ações em momentos de grande turbulência do mercado, que seria fortemente influenciado pelo efeito manada.

Dada à sua importância expressiva, a Petrobrás atingiria a maior valorização dentre as estatais, não descartando é claro, o protagonismo das demais em suas áreas de atuação.

A procura por ações no mercado brasileiro alcançou também as instituições financeiras privadas como Itaú Unibanco e Bradesco, já que suas ações são mais líquidas, reagem mais rapidamente às oscilações e apresentam grande relevância na composição do Ibovespa, o principal índice da Bolsa brasileira.

A tendência é que o posicionamento liberal do candidato do PSL atraia mais investidores para impulsionar a economia e retomar o crescimento do país. E que esse efeito se dê tanto na esfera governamental quanto em âmbito privado, conforme projeções de analistas.

Leia também:

Ibovespa regular, Dólar em queda e DIs “ladeira abaixo”

Hoje sai a primeira pesquisa de intenção de voto para o segundo turno

Queda faz dólar chegar a R$3,76