Bolsas de Nova Iorque fecham sem direção comum com EUA-China no radar

As Bolsas de Nova fecharam o pregão desta quinta-feira (14) sem assumir uma direção comum, com os investidores acentuando preocupações sobre o avanço do acordo comercial entre Estados Unidos e China. O Dow Jones teve uma variação positiva de 0,03%, aos 25.709 pontos, o S&P 500 declinou 0,09%, aos 2.808 pontos e o Nasdaq Composto recuou 0,16%, aos 7.630 pontos.

Sete dos onze setores globais fecharam com desempenho negativo e as ações do setor de matérias-primas caiu 0,79%, liderando as perdas da sessão. Os setores de tecnologia e finanças avançaram, ajudando a equilibrar as baixas do mercado norte-americano. O destaque positivo vai para Visa (+1,13%), Apple (+1,11%) e J. P. Morgan (+0,91%). As ações da Apple valorizaram após avaliação do Morgan Stanley sinalizar para estabilização nas vendas do iPhone no mercado chinês.

Baixe gratuitamente o Guia de A a Z de como se tornar um Trader

Na contrapartida, o Facebook perdeu 1,85% depois que o jornal New York Times divulgou informações sobre uma investigação criminal envolvendo um suposto compartilhamento ilegal de dados que teria sido praticado pela rede social. Ainda no radar, as ações da Boeing recuaram 1,02% com as penalizações aplicadas sobre a companhia através da proibição de operações em vários países com a aeronave de modelo 737 Max.

Manual do Imposto de Renda para Investidores

O presidente americano, Donald Trump, afirmou em uma coletiva de imprensa que a Casa Branca “não está com pressa” para finalizar as negociações com o gigante asiático, tendo em vista que os EUA não aceitarão um acordo fraco, igual ao que aconteceu na reunião de cúpula com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un. Nesta quinta, o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, declarou que o encontro entre Trump e o líder chinês, Xi Jinping, não ocorrerá no mês de março como haviam programado, já que os dois países ainda têm muitos pontos do acordo para negociar.