Bolsas de Wall Street fecham em alta com dados econômicos dos EUA e setor de tecnologia

As Bolsas de valores de Wall Street fecharam o pregão desta quarta-feira (13) em alta, impulsionadas pela divulgação de dados econômicos favoráveis nos EUA e pela valorização das ações do setor de tecnologia. O Dow Jones subiu 0,58%, aos 25.702 pontos, o S&P 500 avançou 0,69%, aos 2.810 pontos e o Nasdaq Composto apreciou 0,69%, aos 7.643 pontos. Os setores de saúde (+1,10%) e energia (+1,09%) lideraram os ganhos no S&P. O destaque positivo ficou com as companhias UnitedHealth (+2,59%), Intel Corp. (+1,49%) e Walgreens (+1,48%).

As encomendas de bens duráveis aumentaram 0,4% em janeiro, ao revés que o mercado esperava uma queda de 0,6%. Isso mostra o quanto a indústria americana ainda está forte e possui fôlego para se desenvolver. Na mesma linha, o índice de preços ao produtor (PPI) de fevereiro indicou uma alta de 0,1% na margem, embora a leitura tenha ficado abaixo das previsões em 0,2%. Esse indicador mostra que os preços continuam avançando, porém em um ritmo mais devagar, de modo que justifica as políticas aplicadas pelo Federal Reserve de manutenção da taxa de juros.

Baixe gratuitamente o Guia de A a Z de como se tornar um Trader

Mesmo passando por instabilidades durante o dia inteiro, as empresas ligadas ao setor de tecnologia perceberam aumento em suas ações. Enquanto usuários do Whatsapp, Facebook e Instagram reclamavam que não conseguiam utilizar os aplicativos, enviando ou recebendo mensagens, as ações subiam devido à integração entre as plataformas destas três gigantes da tecnologia. Facebook avançou 0,84% e Twitter valorizou 0,45%.

A companhia Boeing novamente entrou na pauta de discussões do mercado. Desabando mais 3% após o presidente Donald Trump anunciar o cancelamento das atividades com as aeronaves de modelos 737 Max 8 e 9, as ações da fabricante de aviões conseguiram recuperar durante a sessão e fecharam em alta de 0,46%.

E-book: Guia completo para investimento em renda fixa

Do outro lado do Atlântico, o Parlamento Britânico rejeitou novamente o acordo de separação elaborado pela primeira-ministra britânica, Theresa May, em conjunto com a União Europeia, e os parlamentares decidiram não seguir com o processo de saída do bloco econômico sem um acordo. Nesta quinta, haverá nova votação para escolher se o Reino Unido pedirá ou não extensão do prazo para concluir o processo de separação, que se encerrará dia 29 de março.