Cenário positivo favorece Ibovespa

O dia começa com o mercado mais otimista frente à correção nas operações da Bolsa no fechamento, e na alta dos ativos internacionais no feriado. Não obstante as turbulências internacionais, o cenário doméstico ainda exercerá grande influência no desempenho da Ibovespa, que acumulou alta de 0,73% na semana passada, chegando a avançar 4,51% em outubro. Os juros de longo prazo, sendo o principal índice referência para o risco Brasil, caíram para 10,68% nos contratos de juros DI para janeiro de 2025 e o dólar comercial recuou 1,97%, acumulando uma baixa de 6,42% ao longo do mês, fechando a R$3,77.

Com os mercados brasileiros fechados na sexta-feira (12), os ativos negociados em Nova York tiveram desempenho positivo apresentando alta nas principais ADRs estatais, com destaque para Petrobras ON (+3,30) e Vale ON (+2,07%), enquanto o maior fundo de índice do país (ETF) subiu cerca de 3% em Wall Street. Os recibos bancários também operaram em alta, alcançando o Bradesco uma valorização de 2,63% e Itaú Unibanco 2,64%, ao passo que o índice de volatilidade vinculado ao ETF brasileiro, teve uma queda de 12,98%.

Mesmo refletindo a instabilidade internacional, a Bolsa brasileira vive um dos seus melhores desempenhos mensais do ano em conjunto com a moeda, que obteve excelente movimentação em âmbito global. Isso porque o preço no mercado de câmbio já considera acima de 90% as chances de Jair Bolsonaro chegar à presidência, além de notadamente, a câmara garantir nova composição majoritariamente conservadora, o que favorece a governabilidade do candidato.

Para hoje, a expectativa é de que o Ibovespa ofereça boas oportunidades de compra no pregão, tendo em vista sua meta de atingir o topo histórico de 88.317 pontos.

Leia também:

Em clima de recuperação externa, ADRs brasileiros sobem em Wall Street

Pânico em Wall Street faz dólar subir e Ibovespa recuar

Dólar oscila em queda e Ibovespa sobe após divulgação da XP/Ipese