Como as plataformas e fintechs democratizaram o cenário de investimentos

As plataformas abertas de investimento chegaram no mercado com um grande propósito: permitir que clientes com menos dinheiro também possam investir e assim, democratizar o cenário de investimentos. Há anos atrás, as instituições bancárias eram a única opção para quem desejava realizar aplicações em renda fixa ou fundos. Considerando o baixo nível de concorrência no mercado brasileiro (quantidade reduzida de bancos), o empresário estabelecia suas próprias condições ao cliente, que muitas vezes aceitava, mesmo que não fossem vantajosas.

Quem quisesse aplicar, por exemplo, R$10 mil em um CDB, tinha uma margem de retorno que variava entre 75% e 85% do CDI. Nos fundos de investimento, a situação era ainda pior, com alguns da modalidade DI chegando à taxa de retorno de 5% ao ano, oferecendo quase nenhuma rentabilidade.

Baixe o e-book: Guia completo para investimento em renda fixa

E essa realidade não mudou completamente para os grandes bancos, que ainda lançam ao mercado ofertas limitadas e com alto custo. Contudo, o aumento da concorrência, com a entrada de empresas especializadas em investimentos, trouxe às pessoas uma nova possibilidade de entrar no mundo dos investimentos com pouco dinheiro.

Nas maiores instituições bancárias do país, os fundos DI com taxa de 0,5% sempre estiveram dentre os produtos exclusivos para clientes com alguns milhões em conta. Agora, com as plataformas abertas, é possível investir em fundos DI com taxa de 0,2% ou com menos de R$3 mil. Além disso, as plataformas facilitam o acesso a fundos de crédito privado, multimercados e até ações com preços melhores.

Baixe o e-book: Desvendando o swing trade: tudo o que você precisa saber!

“A plataforma aberta sempre vai oferecer melhores opções de diversificação para que você tenha melhores resultados”, declarou Leandro Santiago, assessor de investimento na Habitus Investimentos, ao Infomoney.

O surgimento das fintechs e plataformas de investimento mudou completamente a visão das pessoas sobre como poupar ou multiplicar o próprio dinheiro e através de iniciativas como educação financeira e facilitação ao público de acesso à produtos com boa rentabilidade, provavelmente este será o mercado que mais vai crescer nos próximos anos.