Compre São Martinho, Cosan com cenário positivo para setor, recomenda BTG Pactual

A combinação da forte demanda por etanol, preços do açúcar sólidos e preços do etanol abaixo da gasolina deve ser suficiente para que as empresas produtoras de açúcar e etanol apresentem um forte resultado financeiro, disse o BTG Pactual em relatório que não levava em consideração o evento terrorista que paralisou metade da produção de petróleo na Arábia Saudita.

Segundo os analistas, o mercado de etanol tem potencial para sustentar bons resultados no curto prazo, e espera-se que as companhias aumentem a produção do combustível. O banco elevou preço-alvo de São Martinho e Cosan para R$25 e R$65, respectivamente, recomendando compra de ambas. O relatório do banco não leva em conta o ataque às instalações petroleiras na Arábia Saudita. Uma das consequências do episódio é que a paridade de preço entre o etanol e a gasolina deve melhorar.

São Martinho deve elevar a produção do etanol, beneficiada pela demanda mais forte, diz o banco. O potencial de novos projetos, sustentados pelo programa RenovaBio, devem proporcionar um combo de crescimento e dividendos. No caso da Cosan, o BTG Pactual defende que é um papel interessante para quem busca exposição à recuperação macroeconômica do país, e potencialmente do mercado de açúcar. O portfólio diversificado da companhia, com uma execução sólida, deve leva-la a cumprir a meta operacional anual, ou guidance, mais uma vez, diz.

O BTG Pactual estima uma produção de etanol de 32,3 milhões m³, uma queda de 0,9 milhões de metros cúbicos em relação ao ano passado. Em relação à demanda, o banco calcula uma expansão de 2,7%, com os estoques 98% mais baixos até o fim de março, abrindo espaço para aumentos potenciais nos preços do etanol, principalmente no período entressafras.