Exterior positivo e resultados da Petrobras podem fortalecer Ibovespa

O dia hoje promete um pregão de muita euforia por parte dos investidores. A ansiedade pela conclusão das eleições de meio mandato nos EUA e a alta registrada pelas Bolsas americanas no fechamento da última sessão deve ceder mais força ao Ibovespa, que ontem atingiu sua marca histórica acima dos 89 mil pontos. A previsão é de que o índice mantenha sua força e continue sua trajetória crescente, rumo ao topo dos 95 mil, sobretudo após a divulgação dos resultados da Petrobras, que deve surpreender o mercado.

Petrobras

Há grande expectativa nos resultados da Petrobras apurados no 3º trimestre deste ano, que serão divulgados na manhã de hoje, antes da abertura do mercado. A projeção é que a estatal apresente lucro 36 vezes maior do que o obtido no mesmo período em 2017, girando em torno de R$9,63 bilhões, conforme as estimativas da Bloomberg.

Analistas apontam que a alta nos preços do petróleo no mercado internacional e o dólar mais forte contribuíram positivamente com o balanço, que deve apresentar um lucro operacional com valor triplicado em relação ao ano anterior, ficando próximo aos R$24,068 bilhões. A previsão é de que o Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação, amortização) mostre um crescimento de 70%, ainda que a produção brasileira tenha sofrido uma redução de 9% em sua base anual.

A divulgação será realizada às 9h (horário de Brasília) e haverá teleconferência com analistas às 14h em português, com tradução simultânea para o inglês.

Wall Street

Impulsionados por ações do setor energético e pela valorização das ações da Berkshire Hathaway, os índices Dow Jones e S&P 500 fecharam com alta de 0,76% e 0,56% respectivamente. Muito pressionado pelo desempenho da Apple e na contramão dos demais índices, o Nasdaq Composto fechou com desvalorização de 0,74%. As empresas de tecnologia têm apresentado resultados abaixo do esperado, sobretudo a Apple, que já acumula queda de 9,28% desde 1º de novembro, quando divulgou os resultados do terceiro trimestre.

Leia também:

Atingindo a quarta alta consecutiva, Ibovespa dispara e dólar fecha a R$3,72