Fala de Bolsonaro repercute negativamente: Ibovespa cai, dólar sobe e estatais ruem

Mais uma vez, o mercado reage cauteloso diante das idas e vindas do cenário político brasileiro. Depois de viver dias de puro otimismo com uma possível vitória do candidato Jair Bolsonaro (PSL), suas declarações recentes causaram queda expressiva nos ativos das principais empresas estatais, que no pregão de ontem (09), fecharam em alta.

Em uma entrevista à TV Bandeirantes, o candidato do PSL demonstrou ser contrário à ideia de privatizar empresas estatais que operam em áreas consideradas estratégicas para o país, enfatizando a Eletrobrás, nas atividades inerentes à geração de energia. Logo pela manha, a reação na Bolsa foi intensa, com destaque para a queda de 12,76% dos ativos Eletrobrás ON e 12,65% nos ativos Eletrobrás PNB. Igualmente impactados, os ativos Petrobrás PN caíram 3,69% e Petrobrás ON 1,78%, registrando uma margem expressiva de queda.

O mercado financeiro havia se mostrado muito otimista quando Bolsonaro anunciou nomes importantes para a sua equipe de governo, como Alexandre Bettamio, presidente-executivo para a América Latina do Bank of America, João Cox, presidente do conselho de administração da TIM e Sérgio Eraldo de Salles Pinto, da Bozano Investimentos. Além disso, os investidores viram como oportuna a escolha de Paulo Guedes para coordenação das políticas econômicas de sua gestão.

Entretanto, os pronunciamentos recentes do candidato fizeram o mercado recuar negativamente, levando o dólar comercial a subir para R$3,76 às 13h47 (horário de Brasília), registrando uma variação +1,35%, e a Ibovespa futuro operava em queda de 2,29% a 84.113 pontos.

Leia também:

Hoje sai a primeira pesquisa de intenção de voto para o segundo turno

MRV Engenharia (MRV3) – resultado operacional do trimestre

Aposta em privatização faz ações das estatais dispararem