Ibovespa dispara com Rali Bolsonaro e Dólar cai a R$3,65

Em mais um dia de grande movimentação e euforia, o cenário eleitoral prevaleceu sobre as tensões internacionais e deu força ao bom desempenho da Bolsa brasileira. O índice Ibovespa, que começou a sessão em alta, sofreu leve queda por volta do meio dia e embalou um viés de alta até o fechamento do pregão normal. Ás 17h55 (horário de Brasília), no after market, o índice registrava aumento de 1,95%, a 85.719 pontos, e um volume financeiro de R$19.413 bilhões, acumulando uma valorização de 1,78% durante a semana que antecede o segundo turno.

Baixe também o Guia: Como obter sucesso em operações Day Trade

O dólar comercial fechou em queda de 1,38%, sendo cotado a R$3,65, bem próximo à mínima do dia de R$3,64. Com isso, o real mostra um dos melhores desempenhos dentre as principais moedas globais, atingindo uma valorização de 10% só em outubro. Os juros futuros despencam em um clima bem amistoso entre os investidores. A DI para dezembro de 2019 tinha redução de 1,47%, sendo negociada a 7,36%, a DI para dezembro de 2020 caía 1,90%, sendo comercializada a 8,24% e a DI para dezembro de 2021 diminuía 2,31%, sendo vendida a 8,90%.

As blue chips (ações com maior liquidez) tiveram grande valorização, após um breve período de cautela durante a manhã, com destaque para as estatais, que apresentaram aumento expressivo, seguindo o Rali Bolsonaro. No mesmo horário, os papéis da Petrobras (PETR3 e PETR4) tinham alta de 4,46% e 5,93% respectivamente, Eletrobras (ELET6) subiam 4,36%, Vale (VALE3) avançavam 2,16%, Banco do Brasil (BBAS3) cresciam 6,71% e Cemig (CMIG4) aumentavam 8,86%. Fonte: Fast Trade.

Turbulência externa

Em Wall Street, os índices caíram mais de 1% com a apuração de resultados ruins das corporações e com a divulgação do PIB, que mostrou um crescimento de 3,5% da economia norte-americana. O Dow Jones fechou em queda de 1,20%, o S&P 500 recuou 1,74% e o Nasdaq desvalorizou 2,06%, apresentando novamente o pior desempenho.

Na Ásia, as Bolsas também fecharam em queda com as tensões externas. O Nikkei 225 de Tóquio caiu 0,40%, o Xangai Composto diminuiu 0,19%, o Hang Seng de Hong Kong cedeu 1,11% e o Kospi de Seul reduziu 1,75%.

Acompanhe cotaçoes em tempo-real dos principais mercados do mundo com o Fast Trade.

Leia também:

Ibovespa cai com pressão internacional e Dólar chega a R$3,68