Ibovespa retoma crescimento e dólar cai com “trégua” em Wall Street

O Ibovespa iniciou a sessão de hoje mostrando um desempenho alinhado à recuperação dos mercados acionários norte-americanos. A aversão ao risco diminuiu devido ao cenário otimista em relação à possível vitória de Jair Bolsonaro (PSL) à presidência no próximo domingo, além de repercutir os resultados das companhias divulgados nessa temporada de balanços.

O desempenho positivo das blue chips – ações com maior liquidez – também contribuiu com a reviravolta da Bolsa brasileira, que às 11h49 (horário de Brasília) avançava 1,04%, a 83.946 pontos. Nesse sentido, destacam-se os papéis da Vale (VALE3) que aumentavam 0,11%, Petrobras (PETR3 e PETR4) que valorizavam de 1,62% e 1,48% respectivamente, Eletrobras (ELET6) que tinha alta de 2,20% e Banco do Brasil (BBAS3) que subia 1,28%.

O dólar comercial apresentava queda de 1,10%, sendo cotado a R$3,70, oscilando em uma margem mais estável. Os juros futuros mostraram alívio e operam em ligeira alta. A DI para dezembro de 2019 aumentou 0,54%, sendo negociada a 7,45%, a DI para dezembro de 2021 subiu 0,11%, sendo comercializada a 9,08% e a DI para junho de 2024 valorizou 0,90%, sendo vendida a 10,07%.

A melhora no ambiente de negócios, contudo, apresenta certas limitações devido ao grande potencial de volatilidade que o cenário externo evidencia, principalmente, pelo receio dos investidores sobre o aumento de juros nos EUA e à expectativa pela divulgação da última pesquisa eleitoral realizada pelo Datafolha, que será divulgada hoje à noite.

Leia também:

Em clima de cautela, Ibovespa tenta retomar trajetória de alta

Após dois dias de intensas quedas, o dia é de alívio internacional