Ibovespa retrocede aos 67 mil pressionado pelos impactos do coronavírus

O Ibovespa opera em forte queda nesta quarta-feira (18), pressionado pelas previsões de impacto econômico-financeiro do coronavírus no mundo.

Os investidores reagiam à intensa volatilidade das negociações, temerosos quanto à real eficácia dos pacotes de estímulos anunciados por diversos países na véspera.

Na visão dos analistas, os instrumentos disponibilizados podem não ser suficientemente fortes para evitar um cenário recessão econômica global, especialmente nas principais potências como China e Estados Unidos.

No Brasil, a situação parece ainda pior, tendo em vista os desafios que setores importantes vêm enfrentando para retomar os níveis satisfatórios de crescimento.

Além disso, o número de casos de contaminação pela doença aumentou exponencialmente, contabilizando 349 pessoas e 1 morte já reportada no estado São Paulo.

Como consequência, o Santander revisou as projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país ao final de 2020, reduzindo de 2% para 1%, enquanto o Credit Suisse cortou de 1,4% para 0%.

Hoje está acontecendo o segundo dia de reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central e a expectativa é que a instituição decida diminuir a taxa Selic em 0,5%, para 3,75%.

Segundo os economistas consultados pelo Bloomberg, previu-se uma redução de 0,5% a 1%, considerando a resposta imediata que o estímulo deverá causar ao ambiente interno.

No noticiário político, o presidente Jair Bolsonaro solicitou formalmente que o Congresso que aprove a declaração de estado de calamidade pública.

Isso porque, o governo precisará exceder o limite do teto de gastos previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal para empregar recursos no combate à pandemia.

Na B3, as companhias Gol (GOLL4), Via Varejo (VVAR3), Lojas Renner (LREN3), Ecorodovias (ECOR3) e Azul (AZUL4) anotavam as maiores perdas da sessão.

Ás 12h10 (horário de Brasília), a Bolsa brasileira recuava 9,11%, aos 67.821 pontos, com um volume financeiro de R$7,889 bilhões.