Ibovespa sobe e dólar desacelera com relatório de empregos dos EUA

Em expectativa pelos resultados da reunião da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e com o anúncio dos dados de emprego mais fracos na economia dos EUA, o Ibovespa oscilava em perdas e ganhos na sessão, mas já retomando a força para engatilhar a recuperação das baixas do dia anterior.

Ás 12h15 (horário de Brasília), o a Bolsa brasileira avançava 0,78%, a 89.538 pontos. O dólar comercial operava em compasso de desaceleração, mas seguia em alta de 0,21%, sendo cotado a R$3,88. Os juros futuros, que começaram a sessão em terreno positivo, reverteram para queda refletindo o cenário econômico americano.

O DI com vencimento para junho de 2019 caía 0,54%, sendo vendido a 6,50% (6,54% no ajuste anterior), o DI para junho de 2022 tinha redução de 1,45%, sendo comercializado a 8,83% (8,95% no ajuste anterior) e o DI para dezembro de 2024 recuava 1,03%, sendo negociado a 9,61% (9,70% no ajuste anterior).

As estatais seguiam em firme trajetória de alta. Petrobras ON subia 3,21%, Petrobras PN aumentava 3,21%, Eletrobras ON disparava de 4,85%, Eletrobras PNB avançava 3,45%, Vale ON ganhava 0,61%, Banco do Brasil ON valorizava 0,11%, Embraer ON saltava 1%, Cemig PN valorizava 0,65% e Copasa ON tinha alta de 0,06%.

IBGE: IPCA cai 0,21% em novembro

 Segundo informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou deflação de 0,21% em novembro, a menor taxa para o mês desde o início do Plano Real em 1994.

O resultado segue na direção oposta ao que foi apurado em outubro, quando a índice teve alta de 0,45% e destoou completamente do avanço de 0,28% indicado em novembro do ano passado. No ano, o IPCA acumula valorização de 3,59%, embora o índice deva encerrar 2018 abaixo do centro da meta de inflação de 4,5% projetada pelo governo.

O cálculo da inflação oficial realizado pelo IBGE toma como base de pesquisa a cesta de consumo das famílias que possuem rendimentos de até 40 salários mínimos, abrangendo o mercado das dez principais regiões metropolitanas do Brasil, incluindo determinados municípios.

Baixe o Infográfico: 5 motivos – Por Que Investir na Bolsa Agora É Um Bom Negócio