Inflação de dezembro deve ter sido a menor desde 1994, mostra consenso

O aumento dos preços ao consumidor em dezembro do ano passado deve ter sido o menor desde pelo menos 1994, encerrando o ano abaixo da meta do Banco Central e assegurando mais um longo período de juros na mínima histórica, disseram especialistas.

Baixe o E-book O Guia Completo de Como Ter Sucesso Nas Operações de Day Trade

Após um breve período de quedas, a inflação retornou e se situou em 0,11%, em dezembro, de acordo com as estimativas de consenso de seis economistas consultados pela TC News. Se confirmado esse aumento, o índice de referência IPCA terá acumulado alta de 3,70% no ano – inferior à meta anual do BC, de 4,5% para 2018.

Baixe o Infográfico: 5 motivos – Por Que Investir na Bolsa Agora É Um Bom Negócio

Inflação baixa deve dar mais elementos ao BC para manter a taxa básica de juros Selic no patamar atual de 6,50%, o menor da história. A taxa permanece inalterada desde o primeiro trimestre do ano passado e cada vez mais economistas veem ela se sustentando nesse nível até, pelo menos, setembro de 2019.

Relatório gratuito – Petrobras: O petróleo é nosso

Em 2019, a meta é de 4,25%. Na ponta das altas de preços, o destaque deve ser alimentos e, na das quedas, a eletricidade.

Mesmo assim, o comportamento dos núcleos do IPCA – métricas bastante populares para medir a inflação subjacente – foi bom, ainda que possa mostrar alguma aceleração, especificamente nos índices de expurgo e de difusão. A expectativa é que tenha se mantido abaixo dos 60%, disseram os economistas.

Relatório gratuito – Banco do Brasil: O gigante acordou