Levante recomenda participar de IPO da Mitre, por exposição à renda média

O investidor pessoa física devia participar da oferta inicial de ações da Mitre Realty pagando, no máximo, R$19,30 por ação, para aumentar sua exposição ao setor de construção civil, especialmente à incorporação mais voltada à faixa de renda média na região metropolitana de São Paulo, disseram analistas da Levante Ideias de Investimentos em relatório.

Segundo os analistas, a Mitre tem um banco de terrenos com valor geral de vendas avaliado em R$4,6 bilhões, alta velocidade de vendas, baixo nível de cancelamentos e estoque de unidades concluídas baixo, equivalente a 3% do total. Por conta do ciclo de projetos mais curto, giro do ativo mais rápido e estrutura de capital enxuta, ela deve ter uma retomada do volume de lançamentos e vendas de imóveis no mercado imobiliário mais vigorosa que os concorrentes. Outro ponto positivo da companhia, diz a Levante, é o alto retorno sobre o patrimônio líquido – medida de rentabilidade bastante utilizada no setor.

A companhia fará uma oferta primária de 45,45 milhões de ações ON, correspondente a 44,76% do capital da construtora. Além disso, a oferta primária poderá ter ainda um lote adicional de 4,2 milhões de ações. Na oferta secundária poderão ser oferecidas até 4,8 milhões de ações, pelos empresários Fabrício Mitre e Jorge Mitre, da família controladora da empresa. Há investidores institucionais que devem garantir quase 85% da oferta, que pode levantar até R$1 bilhão, disse uma fonte ao TC Mover. O preço por ação sugerido está situado na faixa entre R$14,30 e R$19,30 por ação. O período de reserva das ações do IPO da Mitre acontece a partir de amanhã e vai até 31 de janeiro. A precificação está marcada para 3 de fevereiro e os papéis devem começar a ser negociados em 5 de fevereiro na bolsa B3, sob o símbolo “MTRE3”