Embora o mercado esteja aquecido, faturamento do agronegócio deve recuar 2,3% em 2018

De acordo com Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) em publicação da última quarta-feira (21), o Valor Bruto da Produção Agropecuária brasileira (VBP) não apenas deve registrar uma queda razoável de 2,3% em relação ao ano passado e encerrar 2018 com R$ 578,2 bilhões, como será também o menor registro dos últimos quatro anos. Em 2017, o saldo foi de 591,7 bilhões.

José Garcia Gasques, coordenador da secretaria, explica que o principal fator causador deste recuo no resultado anual é a redução do valor de produtos muito relevantes no mercado como arroz, cana-de-açúcar, feijão, laranja, mandioca e milho. Ainda de acordo com as informações fornecidas, dos R$ 578,2 bilhões esperados para 2018, R$ 391,8 bilhões vieram das lavouras (redução de 1,2% em comparação a 2017) e R$ 186,3 bilhões da pecuária (queda de 4,5% quando comparado aos números registrados no ano anterior).

Quando considerado preço e produção, o algodão ganha um considerável destaque entre os produtos que apresentaram maior faturamento ao registrar alta de quase 50% (47,6%). O cacau também teve um índice de crescimento positivo (35,8%), como também o café (8,3%), a mamona (107,6%), a soja (12,4%), o tomate (5,4%), o trigo (78%). Esses produtos representam 57% do valor das lavouras e esses comparativos são feitos em relação a 2017.

Baixe o Infográfico: 5 motivos – Por Que Investir na Bolsa Agora É Um Bom Negócio

Projeções preliminares de faturamento para 2019 não empolgam

Para 2019, o Valor Bruto da Produção Agropecuária brasileira (VBP) acredita em um aumento razoável em comparação ao atual ano (R$ 584,7 bilhões).

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) acredita que será registrado 226,7 milhões de toneladas de grãos e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), especula um intervalo entre 233,7 milhões e 238,2 milhões de toneladas.

Essas especulações, no entanto, ainda são prematuras em razão da fase preliminar de informações disponíveis.

De acordo com Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) em publicação da última quarta-feira (21), o Valor Bruto da Produção Agropecuária brasileira (VBP) não apenas deve registrar uma queda razoável de 2,3% em relação ao ano passado e encerrar 2018 com R$ 578,2 bilhões, como será também o menor registro dos últimos quatro anos. Em 2017, o saldo foi de 591,7 bilhões.

José Garcia Gasques, coordenador da secretaria, explica que o principal fator causador deste recuo no resultado anual é a redução do valor de produtos muito relevantes no mercado como arroz, cana-de-açúcar, feijão, laranja, mandioca e milho. Ainda de acordo com as informações fornecidas, dos R$ 578,2 bilhões esperados para 2018, R$ 391,8 bilhões vieram das lavouras (redução de 1,2% em comparação a 2017) e R$ 186,3 bilhões da pecuária (queda de 4,5% quando comparado aos números registrados no ano anterior).

Quando considerado preço e produção, o algodão ganha um considerável destaque entre os produtos que apresentaram maior faturamento ao registrar alta de quase 50% (47,6%). O cacau também teve um índice de crescimento positivo (35,8%), como também o café (8,3%), a mamona (107,6%), a soja (12,4%), o tomate (5,4%), o trigo (78%). Esses produtos representam 57% do valor das lavouras e esses comparativos são feitos em relação a 2017.

Projeções preliminares de faturamento para 2019 não empolgam

Para 2019, o Valor Bruto da Produção Agropecuária brasileira (VBP) acredita em um aumento razoável em comparação ao atual ano (R$ 584,7 bilhões).

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) acredita que será registrado 226,7 milhões de toneladas de grãos e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), especula um intervalo entre 233,7 milhões e 238,2 milhões de toneladas.

Essas especulações, no entanto, ainda são prematuras em razão da fase preliminar de informações disponíveis.

Baixe o E-book O Guia Completo de Como Ter Sucesso Nas Operações de Day Trade