PIB agropecuário brasileiro respira; Ipea aumenta previsão para avanço de 0, 6% no ano

A estimativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB) 2019 foi revista na última segunda-feira (27) e recuou (1,24% para 1,23%), segundo o boletim Focus, do Banco Central.

Dessa forma, o estado atual da economia cria tensão, levando o PIB agropecuário brasileiro a ser sentido com mais alívio.

De acordo com as projeções do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o índice deve avançar 0,6% neste ano.

Atrelado ao setor de produção de carnes que apresenta um bom resultado, a safra de milho e algodão também representam.

“A pecuária deve ser determinante para o crescimento do PIB agropecuário”, sinalizou o órgão por meio da publicação.

O Ipea, fundação vinculada ao Ministério da Economia, relembrou que os bovinos equivalem a, aproximadamente, metade do PIB da pecuária.

Além disso, a indústria de suínos também impactará o índice, com o aumento de importação de produtos brasileiros, impulsionado pela disseminação dos animais na China.

A peste suína africana pode aumentar a produção brasileira em 5,6% neste ano.

Embora a pecuária revele alta considerável, a agricultura sobe mais timidamente, em 0,1%, em virtude da queda na safra de soja, o principal produto do setor do Brasil.

Desse modo, o maior exportador global da oleaginosa vê o setor sofrer um revés, após bater um recorde de quase 120 milhões de toneladas em 2018.

Sendo assim, o PIB do setor agrícola deve sofrer pouca variação, embora o Ipea projete um avanço expressivo de 12,6% para o milho e de 29% para o algodão em caroço.

Leia mais:

Projeção do Itaú BBA para o Ibovespa é revisto e cai de 117 mil para 110 mil pontos

Estrangeiros compram, mas saldo negativo na Bolsa em maio vai a R$ 5,193 bilhões

Saiba quais são os principais compromissos econômicos globais para esta quarta-feira

Reforma administrativa: Senado aprova texto-base de Medida Provisória 870

Reforma da Previdência: parecer só deve ser votado na 1ª semana de julho, segundo Ramos