Dólar avança a R$4,08 e acumula ganho semanal de 0,21%

Depois de oscilar a maior parte do dia, o dólar comercial fechou em alta de 0,66% contra o real brasileiro, sendo cotado a R$4,0870 na venda.

Com essa virada no final do pregão, a divisa americana devolveu as perdas das sessões anteriores e ainda valorizou 0,21% na semana.

A reversão de tendência no câmbio, aparentemente, não teve um catalisador definido, porém, algumas possibilidades foram elencadas, dentre variáveis internas e externas.

 No cenário norte-americano, tivemos a elevação no rendimento das Treasuries de curto prazo devido à queda nas apostas pelo corte na taxa de juros na reunião de semana que vem do Federal Reserve.

Por aqui, o Tribunal de Contas da União (TCU) emitiu um alerta para um possível descumprimento do teto de gastos do governo este ano.

Dentre as 33 divisas globais mais líquidas, o real apresentou o pior desempenho contra o dólar, sentindo o movimento de aversão ao risco com maior intensidade.

No mesmo sentido, os contratos de juros futuros encerraram com aumento nas taxas de longo prazo e leve recuo nas taxas de curto prazo.

O comportamento da renda fixa mostrou que embora o ambiente de flexibilização em âmbito nacional já esteja precificado, o clima ainda é cautela no exterior, sobretudo, no que tange ao Fed.

O DI junho/2020 caiu para 5,15% (5,18% no ajuste anterior), o DI outubro/2023 saltou para 6,76% (6,67% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2027 subiu a 7,35% (7,25% no ajuste anterior).