Dólar cai a R$4,10 de olho nas perspectivas positivas do cenário macroeconômico

O dólar comercial operava em queda nesta quinta-feira (12), de olho nas perspectivas positivas do cenário macroeconômico brasileiro.

Na sessão de ontem, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) anunciou uma redução na taxa básica de juros em 0,50%, passando a ser aplicado o percentual de 4,50% ao ano.

E ao contrário do que o mercado esperava, a instituição não encerrou expressamente a política de cortes, de modo que, no ano que vem, é possível dar continuidade ao ciclo de afrouxamento.

Além disso, a revisão da perspectiva de risco de crédito soberano do Brasil, emanada pela Standard & Poor’s Global Ratings, também impulsionava a valorização do real.

A decisão da S&P alterou a classificação de rating do país de estável para positiva, evidenciando que a conjuntura interna já oferece um grau de investimento.

A divisa americana também recua diante das principais moedas emergentes, acompanhando o exterior mais positivo e aberto para o apetite ao risco.

Ás 12h32 (horário de Brasília), o dólar comercial depreciava 0,41% contra o real, sendo cotado a R$4,1010 na venda.

Na renda fixa, os contratos de juros futuros operavam em queda firme, sinalizando ajuste em toda a curva a termo, após as decisões de juros.

A expectativa por novas reduções da taxa básica no ano que vem divide a opinião dos analistas, que não veem impacto significativo no movimento das DIs.

O DI junho/2020 caía 1,03%, com negociação a 4,32% (4,37% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2026 declinava 0,31%, sendo vendido a 6,47% (6,52% no ajuste anterior).