Dólar cai e fecha a R$5,08 com pacote de US$2 trilhões no radar

O dólar comercial caiu 1,05% nesta terça-feira (24), fechando na cotação de 5,0810 na venda, reagindo ao pacote de estímulos proposto pelo governo americano.

Depois de duas rejeições consecutivas no Senado, republicanos e democratas chegaram a um acordo para aprovar a proposta de auxílio à economia no valor de US$2 trilhões.

A expectativa pela liberação dos recursos impulsionou os ativos de risco no mundo inteiro, pois, a medida tentará restaurar os níveis de liquidez que vêm sendo afetados pelo avanço do coronavírus.

A divisa americana depreciou contra 29 das 33 principais divisas globais, com destaque para a coroa norueguesa (+3,94%) e o won sul-coreano (+3,03%).

Os investidores também repercutiram a queda de 1% nas vendas no varejo mensuradas em janeiro, superando as previsões dos economistas de baixa em apenas 0,4% no período.

O enfraquecimento do indicador acentuou as apostas de um novo corte na taxa Selic no curto prazo, o poderá pesar sobre o desempenho do real nos próximos meses, tendo em vista a perda de atratividade da moeda com a redução dos juros.

Juros Futuros

Na renda fixa, os contratos de juros futuros encerraram em queda, com as taxas ao longo da curva precificando a continuidade da política de flexibilização monetária no Brasil.

Apesar de os riscos fiscais se apresentarem como um desafio, a fraqueza da atividade local mesmo antes de considerar os impactos do coronavírus, evidencia que os desafios macroeconômicos serão ainda maiores.

O DI janeiro/2021 caiu para 3,68% (3,77% no ajuste anterior), o DI outubro/2023 declinou para 7,57% (8% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2026 recuou para 8,76% (9,14% no ajuste anterior).