Dólar cai mais de 1% com relatório de empregos nos EUA e de olho no Fed

Operando em queda desde a abertura, o dólar acelerou o movimento negativo após a divulgação do relatório de emprego nos EUA, mostrando resultados abaixo do esperado.

O Departamento do Trabalho americano indicou que foram criadas cerca de 130 mil novas vagas em agosto, quando a expectativa era a geração de 150 mil novos empregos.

O fato pressionou a moeda dos EUA, que chegou a tocar as mínimas contra o real e continuava se depreciando, à espera do discurso do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, que acontecerá por volta de 13h30.

Lidando com um ambiente de incertezas no exterior e fraqueza estrutural, aumentaram as chances de ocorrer uma nova redução da taxa de juros já na próxima reunião de política monetária.

Com o apetite ao risco já em voga pela retomada das negociações com a China, esse indicador acentuou a correção do câmbio contra as principais divisas emergentes.

Ás 12h17 (horário de Brasília), o dólar comercial recuava 1,14% contra o real, sendo cotado a R$4,0620 na venda.

Na mesma linha, os contratos de juros futuros apresentavam declínio nas taxas ao longo da curva, com os investidores retirando prêmio de risco, seguindo a tônica do cenário externo.

O DI janeiro/2020 caía 0,37%, sendo negociado a 5,34% (5,35% no ajuste anterior) e o DI outubro/2023 recuava 0,67%, sendo vendido a 6,67% (6,71% no ajuste anterior).

Leave a Reply

Your email address will not be published.