Dólar dispara 1,12% e fecha a R$4,44 com incertezas no exterior

O dólar comercial valorizou 1,12% nesta quarta-feira (26), sendo cotado a R$4,4420 na venda, renovando a máxima histórica de fechamento.

Na volta do feriado de Carnaval, a divisa americana se fortaleceu contra o real, mesmo após o Banco Central ofertar cerca de 10 mil contratos de swap cambial e anunciar a venda de outros 20 mil contratos amanhã.

Ao todo, a autoridade monetária vai colocar em circulação aproximadamente US$1,5 bilhão no mercado de derivativos através dos leilões de linha.

Ainda assim, essa intervenção não foi o suficiente para conter a expressiva depreciação da moeda brasileira, que apresentou o pior desempenho do dia, em comparação aos demais pares emergentes.

Além disso, as sucessivas revisões de baixa nas projeções de crescimento do país também ajudavam a aprofundar a trajetória de queda do câmbio local.

O mau humor generalizado foi apoiado pela notificação da Organização Mundial da Saúde (OMS) avisando que o número de novos casos no mundo subiu mais do que na China, o epicentro da doença.

Adicionalmente, os ânimos pioraram após a Itália reportar um aumento acentuado e repentino no número de contaminações, provocando um alerta no continente europeu e nos demais países.

Juros Futuros

Na renda fixa, os contratos de juros encerraram com elevação nas taxas em todos os períodos, refletindo os impactos do coronavírus nos ativos brasileiros durante o feriado.

O movimento de recomposição do prêmio de risco aconteceu, de forma acentuada, nos vértices mais longos, demonstrando as preocupações com o cenário econômico global.

O DI dezembro/2020 subiu para 4,18% (4,16% no ajuste anterior), o DI julho/2024 saltou para 6,06% (5,91% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2027 avançou para 6,65% (6,47% no ajuste anterior).