Dólar dispara a R$4,20 com cenário externo adverso

O dólar comercial operava em alta nesta terça-feira (21), reagindo às adversidades do cenário internacional, que desencadeavam no aumento da aversão ao risco.

O ambiente global pressionou a valorização da divisa americana, que como ativo mais seguro, atuava como um refúgio para investidores.

Com o avanço do coronavírus na China, às vésperas do feriado prolongado do ano novo lunar, as autoridades estão preocupadas com um possível surto em escala global.

A situação ficou ainda mais delicada após a Organização Mundial da Saúde (OMS) emitir um alerta dizendo que o vírus foi transmitido entre humanos, por contato direto.

Diante disso, o dólar se fortalecia contra as principais moedas globais, sobretudo, as emergentes, que estão suscetíveis à maior volatilidade.

No ambiente doméstico, o IGP-M voltou a desacelerar na segunda prévia de janeiro, a 0,57%, sinalizando que houve um arrefecimento nos preços de alguns produtos da cesta, conforme a previsão do mercado.

Além disso, o governo pretende adiar para 2021 a realização dos leilões para promover a exploração de petróleo no território nacional.

A medida contribuirá para acentuar o déficit fiscal e a deterioração do fluxo cambial do país, levando o dólar a alçar níveis ainda mais altos.

Ás 12h23 (horário de Brasília), o dólar comercial avançava 0,29% contra o real, sendo cotado a R$4,2010 na venda.

Juros Futuros

Os contratos de juros futuros apresentavam um comportamento misto, com as taxas intermediárias recuando e as taxas mais longas avançando.

O DI junho/2020 caía 0,47% sendo negociado a 4,23% (4,24% no ajuste anterior) e o DI julho/2024 subia 0,32%, sendo vendido a 6,25% (6,24% no ajuste anterior).