Dólar recua a R$3,85 com exterior positivo e governabilidade no Congresso

No mercado de câmbio brasileiro, o dólar comercial teve um dia de forte desvalorização impulsionado pelo clima positivo no exterior e pelas articulações no Congresso.

Na sessão de hoje, a Comissão Mista de Orçamento aprovou o projeto de lei de concede um crédito suplementar ao governo no valor de R$248,9 bilhões.

A votação estava ameaça devido ao recente imbróglio envolvendo o ministro da Justiça, Sérgio Moro, mas o governo conseguiu negociar com a oposição e demonstrou sua governabilidade diante do Congresso.

O fato animou os investidores e o real apresentou o terceiro melhor desempenho contra a divisa americana, ficando atrás apenas do peso chileno e do rand sul-africano.

No fim das operações, o dólar comercial encerrou em queda de 0,87%, sendo cotado a R$3,8500 na venda, registrando o menor nível de fechamento desde abril.

Com o cenário político mais amistoso, os contratos de juros futuros fecharam com redução nas taxas em todos os períodos e o mercado segue retirando o prêmio de risco dos ativos.

Em meio às incertezas sobre possíveis impactos do caso Moro, a atitude do Congresso de concentrar esforços na agenda econômica, reforçou o ambiente positivo para investimentos.

O DI janeiro/2020 ficou estável, sendo vendido a 6,18% e o DI janeiro/2024 recuou para 7,38% (7,49% no ajuste anterior).

Leia mais:

Ibovespa salta 1,53% com alta das commodities e votação do crédito suplementar

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.