Dólar recua a R$3,96 de olho negociações EUA-China

Depois de abrir em alta, refletindo o mau humor que se instaurou nos mercados internacionais, o dólar virou para queda com a notícia de que Estados Unidos e China retomarão as negociações nas próximas duas semanas.

O governo americano informou que vai adiar a imposição de tarifas de determinados produtos chineses para dia 15 de dezembro, em sinal de boa vontade com Pequim, visando buscar uma solução para a disputa tarifária.

Mais cedo, a divisa americana se fortaleceu após a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) dos EUA, que avançou 0,3% em julho, vindo dentro das expectativas dos economistas.

Porém, os dados de inflação mais fortes reduzem a probabilidade de o Federal Reserve adotar uma postura mais expansionista na condução da política monetária do país, o que desanimou os investidores.

Ás 12h20 (horário de Brasília), o dólar comercial caía 0,38% contra o real brasileiro, sendo cotado a R$3,9680 na venda.

Na renda fixa, os contratos de juros futuros rondavam a estabilidade, porém assumiam um viés de baixa, acompanhando a dinâmica cambial.

O DI novembro/2019 permanecia estável a 5,66%, o DI janeiro/2024 recuava 0,45%, sendo vendido a 6,64% (6,68% no ajuste anterior).