Dólar recua a R$4,09 à espera por decisões de política monetária

O dólar comercial encerrou o pregão desta terça-feira (10) registrando leve depreciação de 0,22% contra o real brasileiro, sendo cotado a R$4,0910 na venda.

No mercado externo, a divisa americana apresentava um comportamento misto em relação às moedas emergentes, subindo contra a lira turca e o dólar neozelandês e recuando na paridade com o rand sul-africano e o rublo russo.

A notícia de que a China estaria disposta a fazer mais concessões aos EUA para conseguir um acordo comercial satisfatório ajudou a aliviar as tensões sobre a decisão do Banco Central Europeu.

Na próxima quinta-feira (12), a autoridade monetária do velho continente se reunirá para definir uma diretriz política que contenha o ritmo de desaceleração econômica na zona do euro.

Após as declarações do governo chinês, os analistas começaram a duvidar da crença, até então generalizada, de que o BCE atuará com estímulos agressivos para impulsionar as atividades do bloco europeu, o que gerou as oscilações modestas no câmbio.

No sentido diametralmente oposto, os contratos de juros futuros fecharam com elevação nas taxas, acompanhando o avanço dos rendimentos dos títulos globais, como os bonds americanos e alemães.

O DI fevereiro/2020 subiu para 5,25% (5,23% no ajuste anterior), o DI abril/2023 avançou para 6,55% (6,52% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2028 saltou a 7,46% (7,39% no ajuste anterior).