Dólar recua a R$4,09 mas fecha a semana com ganhos sobre o real

Fazendo um pregão de ajustes nesta sexta-feira (11), o dólar comercial recuou 0,75% contra o real brasileiro, fechando na cotação de R$4,0930 na venda.

Depois de duas sessões consecutivas de alta, o otimismo com o acordo parcial celebrado entre Estados Unidos e China se sobrepôs às nuances do câmbio, pressionando a queda da divisa americana.

As principais moedas emergentes, bem como os demais ativos de risco, se beneficiaram com o alívio do cenário externo, porém, desaceleraram no final do pregão, ficando longe das máximas.

Com destaque para a valorização das divisas rand sul-africano, peso mexicano e rublo russo. A lira turca foi a moeda que mais depreciou em relação dólar, declinando 3,47%.

Apesar de ter apresentado um movimento semelhante aos seus pares, o real não conseguiu devolver as perdas registradas na semana, permitindo o avanço de 0,95% da moeda dos EUA.

No mesmo sentido, os contratos de juros futuros encerraram nas mínimas, reagindo aos indicadores mais fracos da economia nacional e os baixos níveis de inflação, que corroboram com o ambiente de corte agressivo na taxa Selic.

O desdobramento favorável da guerra comercial também pressionou à nova rodada de queima para o prêmio de risco, que hoje, se concentrou nos vértices intermediários e longos da curva de juros.

O DI fevereiro/2020 caiu para 4,72% (4,75% no ajuste anterior), o DI abril/2023 declinou para 5,71% (5,87% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2025 recuou a 6,26% (6,44% no ajuste anterior).