Dólar tem leve alta com o exterior negativo contrapondo o cenário interno

Depois de abrir em queda repercutindo a aprovação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, o dólar comercial mudou de direção e agora ronda a estabilidade.

O grande catalisador do câmbio foi a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) nos Estados Unidos, que se fortaleceu, vindo acima das previsões do mercado.

Este indicador pode impactar na avaliação do Banco Central americano, Federal Reserve, sobre a política que será adotada em relação à taxa de juros na reunião que acontecerá nos dias 30 e 31 de julho.

O fato abalou as expectativas dos investidores, que antes projetavam um cenário de corte em 0,50% na taxa básica e agora arriscam em uma redução mais modesta, de 0,25%.

Ás 12h15 (horário de Brasília), o dólar comercial subia 0,05% contra o real brasileiro, sendo cotado a R$3,7580 na venda.

Na renda fixa, os contratos de juros futuros seguiam a dinâmica do câmbio e apresentavam elevação nas taxas em todos os períodos.

O DI fevereiro/2020 aumentava 0,62%, sendo negociado a 5,72% (5,70% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2024 subia 0,45%, sendo vendido a 7,65% (6,63% no ajuste anterior).

Leia mais:

Ibovespa cai com sessão ajustes pela aprovação da Previdência e incertezas no exterior

Noticiário Corporativo: Sabesp (SBSP3) e Energias do Brasil (ENBR3)