Ibovespa regular, Dólar em queda e DIs “ladeira abaixo”

Mercado interno pressiona cenário externo negativo e dólar fecha a R$3,71

O mercado doméstico comprovou sua força diante da negativa externa, que tem influenciado o cenário financeiro. Mesmo diante de pressões internacionais, o dólar comercial apresentou queda de 1,47%, chegando a R$3,71 no fechamento, com sua menor cotação desde agosto.  O Ibovespa encerrou estável registrando 86.087 pontos, com volume de operações na casa dos R$17,646 bilhões e os juros futuros permaneceram em queda, com DI para vencimento em janeiro de 2021 recuando em 25 pontos, passando para 8,64%.

O efeito Bolsonaro segurou os índices e manteve o bom desempenho brasileiro, enquanto no exterior, o Dow Jones caiu 0,21% e o S&P500 permaneceu em queda diante de uma possível elevação da taxa de juros acima do esperado pelo Federal Reserve.

O otimismo do mercado deve-se à sinalização de que o candidato Bolsonaro (PSL) estaria procurando no setor privado nomes experientes que topassem fazer parte do seu governo. Além disso, a mudança do quadro político para uma posição direitista majoritária e a aplicação de políticas voltadas à uma agenda mais liberal, levou muitos investidores a reduzirem os prêmios de risco dos principais ativos locais, fortalecendo os investimentos.

Tal situação ilustra como as questões políticas interferem no mercado e como fatores internos, em determinado momento, podem exercer uma influência significativa sobre o câmbio e o resultado financeiro.

Leia também:

Queda faz dólar chegar a R$3,76
O mercado local deve continuar animado, mas com menor empolgação
BRF (BRFSA3) – reunião com investidores