Agenda econômica conta com prévia do IGP-M, safra de grãos, Jolts e mais destaques

A FGV inaugura nossa agenda econômica local com a primeira prévia do IGP-M de setembro.

Posteriormente, o IBGE divulga a expectativa para a safra de grãos, assim como os dados da produção industrial regional.

Nos Estados Unidos, o dia é de números de abertura de postos de trabalho em junho do relatório Jolts.

Os investidores acompanham ainda a apresentação da Apple, na parte da tarde, quando lançará novos modelos do IPhone.

Ao final do dia, o país divulga dados de estoques de petróleo, gasolina e destilados, apresentados pelo API.

Na agenda econômica chinesa, o Índice de Preços ao Produtor (PPI) contraiu 0,8% em agosto na comparação anual com 2018.

Em uma comparação mensal, o recuo foi mais singelo, de 0,1% ante julho.

Em contrapartida, o Índice de Preços ao Consumidor (CPI) avançou 2,8% no mesmo mês, na comparação anual, de acordo com o Escritório Nacional de Estatísticas.

O resultado superou as expectativas previstas por analistas ouvidos pelo The Wall Street Journal, que previam alta de 2,6%.

Desse modo, a inflação da potência asiática se aproxima da meta de, aproximadamente, 3% do governo chinês.

No Reino Unido, a taxa de desemprego caiu para 3,8% no período de três meses até julho. Com isso, voltou ao menor patamar desde 1974, de acordo com a ONS.

Esse resultado surpreendeu analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam manutenção da taxa em 3,9%, registrado anteriormente no trimestre até junho.

Ficou para depois

Ontem à noite, o Parlamento britânico optou por não aceitar a antecipação das eleições para o dia 15 de outubro. Assim, a chance de um Brexit sem acordo é reduzida novamente. O problema é que Boris Johnson, o primeiro-ministro inglês quer que a saída ocorra até o último dia de outubro, mesmo com a proibição da rainha Elizabeth II de que uma saída desordenada ocorra. Ou seja, aumentam as incertezas na Europa.

Pela Ásia, o clima foi mais cauteloso depois que a inflação ao consumidor (CPI) chinês subiu mais do que o esperado em agosto, veio em 2,8 por cento, enquanto a meta é de 3 por cento. Por outro lado, o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, disse que as conversas entre EUA e China “tiveram muito progresso”. Ponto positivo, mas como ninguém está vendo evoluções de fato, o otimismo fica contido.

Por aqui, a votação da reforma da Previdência no Senado em primeiro turno deve ficar para a próxima quarta-feira, dia 18. Davi Alcolumbre, presidente da Casa, queria que ocorresse já nesta semana, mas como ada vai para votação sem uma chance real de aprovação, optou por esperar mais uns dias. O mercado monitora de perto, tudo bem esperar mais alguns dias, desde que não atrase o calendário final.

Por Glenda Ferreira – Especialista em Investimentos na Levante Ideias de Investimentos