Agenda econômica tem Pesquisa Mensal do Comércio; Índice de Preços ao Produtor e mais

Nossa agenda econômica local tem como destaque a divulgação do IBGE a respeito do resultado da Pesquisa Mensal do Comércio.

Nos Estados Unidos, os investidores acompanham o Índice de Preços ao Produtor (PPI) e os números de estoques no atacado.

Na agenda econômica chinesa, o setor automotivo registrou queda de 6,9% nas vendas de agosto na comparação anual com 2018.

Essa foi a 14ª queda consecutiva, segundo números da associação chinesa de montadoras.

Entre janeiro e agosto, as vendas recuaram 11%, também na comparação anual.

Na Europa, os investidores aguardam o comunicado do BCE, previsto para amanhã (12), sobre a política de juros.

As expectativas giram em torno de um novo pacote de estímulo econômico para a região.

No aguardo

A semana ainda continua meio morna e sem direção definida, mas com expectativa quanto aos anúncios dos bancos centrais (BC). Amanhã, será a vez do BC europeu anunciar se haverá mais estímulos e os investidores já estão atentos a cada sinalização. Por ora, a expectativa é de um bom pacote de estímulos e qualquer indício de que os estímulos não virão, poderá ser um balde de água fria. A China, por outro lado, já puxou a fila e, de acordo com jornais, implementará medidas para reduzir os impactos da guerra comercial, o que já proporcionou ganhos nas Bolsas asiáticas. Enquanto nos EUA, Trump segue pressionando o Fed e foi, novamente, ao Twitter dizer que a instituição deveria cortar os juros para zero ou menos e refinanciar a dívida nacional. Claro que foi um exagero, mas na próxima semana já temos a decisão do bancão (que em tese é independente) que deve seguir essa direção de redução de juros.

Por aqui, Paulo Guedes e companhia seguem firme no plano de criar um imposto sobre transações financeiras, bem parecido com a antiga CPMF, mas com caráter permanente. A proposta é cobrar um taxa de 0,4 por cento sobre todos os saques e depósitos realizados no país, mas Bolsonaro ainda não está convencido e o assunto tem gerado muitos debates. Maia já falou que o apoio deverá ser pequeno na Câmara, vamos acompanhar o desfecho da ideia que não está sendo tão bem vista assim.

Por Glenda Ferreira – Especialista em Investimentos na Levante Ideias de Investimentos