Balança comercial tem superávit na 2ª semana de janeiro; confira mais destaques econômicos

A balança comercial brasileira teve um superávit de US$ 14 milhões na segunda semana de janeiro (dias 6 a 12).

De acordo com dados divulgados na véspera (13) pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia, o valor foi é uma média de US$ 3,458 bilhões contabilizados em exportação e US$ 3,444 bilhões em importação.

Entre 1 e 5 de janeiro, a balança comercial vendeu US$ 2,893 bilhões e comprou US$ 1,129 bilhão, chegando ao superávit de US$ 1,764 bilhão para a primeira semana de 2020.

Assim, o superávit acumulado em janeiro é de US$ 1,778 bilhão (US$ 6,351 bilhões exportados e US$ 4,573 bilhões importados).

Para 2020, a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) projetam recorde para o setor, com crescimento de ao menos 10% em volume de receita.

Na ponta do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) subiu 0,78% na primeira quadrissemana de janeiro, desacelerando em relação ao aumento de 0,94% observado em dezembro.

Em recente relatório Focus do Banco Central foi declarada a redução da mediana de inflação oficial em 2020, de 3,60% para 3,58%. Para o próximo ano, o ponto-médio das expectativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi mantido em 3,75%.

Para esta terça-feira, os destaques locais se dividem entre o IBC-Br e o crescimento do setor de serviços de novembro.

Nos Estados Unidos, além da expectativa sobre a assinatura da Fase 1 do acordo comercial sino-americano, o Departamento do Tesouro americano informou que o déficit orçamentário local aumentou em 2019, mas não tanto quanto em 2018.

Desse modo, o déficit federal alcançou US$ 1,02 trilhão nos 12 meses encerrados em dezembro, conforme mostram dados do Tesouro.

As exportações chinesas avançaram 0,5% em 2019, o ritmo mais lento em três anos.