Brasileiro está otimista com a economia, aponta pesquisa global

Dados levantados pela pesquisa Edelman Trust Barometer apontam que o povo brasileiro está mais otimista com a economia.

Setenta por cento dos brasileiros esperam melhorar sua condição econômica, assim como a de sua família nos próximos cinco anos.

A informação é da pesquisa que mede a confiança das pessoas no governo, nas empresas, nas organizações não governamentais (ONGs) e nos meios de comunicação.

Para 2020, foram consultadas mais de 34 mil pessoas em 28 países.

De acordo com a agência global de comunicação, os otimistas só predominam em economias emergentes; assim, os mais empolgados no ranking são os quenianos, cujos números apontam para 90% indicando esperança de melhora.

Os chineses, por sua vez, quase empataram com os brasileiros, com 69% de respostas positivas.

Em mais da metade dos países consultados (15/28) houve maioria de pessimistas. Esse grupo inclui todos os mercados mais desenvolvidos.

Nos Estados Unidos, por exemplo, apenas 43% indicaram expectativa otimista com a economia, seguido pelo Reino Unido (27%), Alemanha (23%), França (19%) e Japão (15%).

A pesquisa constatou ainda que a confiança vem sendo minada por uma crescente sensação de desigualdade e de injustiça.

Nesse sentido, o maior pessimismo apareceu na Índia (73%), seguido pela Itália (67%), Alemanha (66%) e até os EUA (57%).

Essa sondagem será apresentada em evento paralelo à reunião do Fórum Econômico Mundial em Davos, segundo informou o Estadão.

Representante do Brasil em Davos, o ministro da Economia, Paulo Guedes, planeja defender, sobretudo, as reformas implementadas pelo governo Bolsonaro como responsáveis por tirar o Brasil do “abismo fiscal. Ele em painéis e se reunirá com empresários nos próximos dias.