Destaque econômico: balanços internos; CPI nos EUA; taxa de desemprego na Europa e mais

Por aqui, o destaque econômico se reserva aos balanços corporativos do Banrisul, Bradespar, BTG Pactual e Equatorial antes do pregão.

Após o fechamento do mercado, investidores se preparam para os resultados da Centauro, Hapvida, Light, Qualicorp e outros. Fique ligado.

Na Europa, a taxa de desemprego do Reino Unido chegou a atingir a marca de 3,9% nos três meses até junho.

Quando comparado ao nível alcançado no trimestre anterior (3,8%, o crescimento se mostra singelo.

O resultado contrariou as expectativas de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam manutenção da taxa em 3,8%.

Na Alemanha, o índice de expectativas econômicas recuou de – 24,5 pontos em julho para – 44,1 em agosto, segundo pesquisa divulgada pelo instituto alemão ZEW.

Analistas consultados pelo The Wall Street Journal previam queda bem menos acentuada ao indicador, para apenas – 30 pontos.

Nos Estados Unidos, o destaque econômico é a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) na manhã de hoje.

Ademais, saem os dados de produção industrial, investimentos em ativos fixos e vendas do varejo chinês.

Nos quatro cantos

Os dias de marasmo ficaram para trás, o que não faltam são notícias, e mais do que isso, incertezas para serem monitoradas em todos os continentes. Além da guerra comercial entre EUA e China, pode-se incluir na conta, as tensões em Hong Kong (com manifestações pró-democracia, sob a política de “um país, dois sistemas”) e agora, a Argentina. O tombo de nossos vizinho ontem foi grande: queda de 37,9 por cento do índice Merval, peso nas mínimas, o que fez o banco central subir a taxa de juros a incríveis 74 por cento e a percepção de um crescente risco de calote da dívida externa. Para nós, são vários impactos, os hermanos são o nosso terceiro maior parceiro comercial e é mais um elemento negativo que contamina toda a América Latina – dificultando ainda mais o capital estrangeiro vir para cá.

Não para por aí. Na Europa, nem as ações dos bancos escaparam e também estão caindo. Enquanto nos EUA, a curva de juros inverteu novamente, inclinação negativa com o rendimento (yield) do título longo de 30 anos (T-bond) aproximando-se da mínima histórica. Quando isto ocorre, sugere uma crise logo a frente ou certa disfuncionalidade monetária.

Por aqui, nos firmamos na agenda reformista do governo. Hoje, a Câmara deve votar a medida provisória 881 da Lei da Liberdade Econômica, que visa estabelecer garantias para a atividade econômica de livre mercado e desburocratizar o ambiente de negócios. Além disso, os investidores locais ainda devem monitorar o leilão de terminais portuários que podem ser um bom indício de como seguirão as privatizações, além da temporada de resultados que tem o dia cheio de novos dados para serem digeridos.

Por Glenda Ferreira – Especialista em Investimentos na Levante Ideias de Investimentos