‘’Estamos no fundo do poço’’, diz Guedes defendendo a urgência de reformas

Durante uma audiência na Comissão Mista do Orçamento do Congresso, nesta terça feira (14), o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o país está no ‘’fundo do poço’’ e defendeu a necessidade de reformas para melhorar o cenário.

Segundo Guedes, ‘’o Brasil está prisioneiro da armadilha do baixo crescimento” e “à beira de um abismo fiscal”, e completou afirmando que é ilusão acreditar que conseguiremos avançar 3%. Para ele, está nas mãos do Congresso mudar está situação, aprovando as reformas.

Com baixas nos resultados do setor de serviços, comércio e indústria, o governo começou a trabalhar com estimativas de crescimento em torno de 1,5%, o que fará com que mais cortes sejam empregados. Após o contingenciamento de R$ 30 bilhões anunciado em março, a projeção é de um corte adicional de cerca de R$ 5 bilhões.

E-book: Guia completo e definitivo da Previdência Privada

Analistas apontam para um caminho de recessão, e acreditam que uma das alternativas seria o Banco Central reduzir a taxa básica de juros (Selic), hoje fixada em 6,5%, em até um ponto, afim de mexer na inflação e movimentar a economia.

No início do ano, o mercado previa que o Banco Central só devesse mexer na Selic em 2020, no entanto, os últimos dados apontam que esta será uma possível saída, mudando as perspectivas.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, alguns analistas disseram que esperam um cenário mais otimista no segundo semestre, com uma inflação mais controlada e o IPCA ficando em torno de 4% este ano.