Governo pretende usar recursos do PIS/Pasep para minimizar déficit primário  

Segundo informou o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues ao jornal Valor Econômico nesta terça feira (11), o governo estuda usar o dinheiro não sacado do PIS/Pasep para diminuir o déficit do Tesouro Nacional.

O PIS/Pasep, que hoje dispõe de R$ 22 bilhões depositados em bancos oficiais, pode gerar um alívio de R$ 20 bilhões nas contas públicas,já que os recursos reduziriam o déficit primário (receitas menos despesas, excluído o gasto com juros).

A ajuda será menor do que o valor total porque a equipe econômica decidiu liberar saques do PIS/Pasep a fim de estimular a economia. Os saques poderão ser feitos por trabalhadores públicos e privados que contribuíram até outubro de 1988.

“Estimamos que um valor bem menor seja efetivamente sacado pelos detentores, que hoje são 14,5 milhões de pessoas. Talvez R$ 1 bilhão a R$ 2 bilhões”, disse Rodrigue ao Valor.

O PIS/Pasep foi criado com o intuito de arrecadar recursos para pagar o seguro-desemprego e ser fonte dos financiamentos do BNDES.

Embora o dinheiro fique centralizado no Tesouro, os trabalhadores ainda terão acesso. “Os recursos pertencem às pessoas, que terão a qualquer momento direito a eles. O efeito fiscal é secundário e pode ser feito num segundo momento. [O governo] fará uma chamada [aos detentores de depósitos] e em seguida centralizará os recursos no Tesouro”, garantiu Rodrigues.

Leave a Reply

Your email address will not be published.