Governo quer mudar cálculo do Imposto de Renda para empresas

A Receita Federal quer mudar a forma de cálculo do Imposto de Renda das empresas (IRPJ), deixando de lado as regras contábeis do IFRS, adotadas em 2008, informou o jornal Valor Econômico desta quinta feira (29).

A adoção das Normas Internacionais de Informação Financeira (IFRS) foi a forma encontrada para padronizar as demonstrações financeiras e tornar comparáveis os balanços das empresas nacionais e internacionais.

A ideia agora é estabelecer uma base de cálculo do IRPJ partindo de um conceito denominado “resultado fiscal”. Deste modo, o cálculo seria feito sobre o lucro real apurado com base na diferença entre “receitas fiscais” e deduções fiscais.

O Fisco alega que a mudança não elevaria a carga tributária e teria a vantagem de reduzir litígios, o custo Brasil, a instabilidade de regras e o volume de obrigações acessórias.

Como as alterações têm preocupado, a pedido da Receita Federal, empresários têm sido consultados e 13 empresas se prontificaram a participar de um teste do modelo.

O presidente da Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca), Alfried Plöger disse ao Valor que a proposta da Receita tornará o cálculo do IR mais complicado. “E há o grande temor, justo, de que vamos pagar mais impostos. Claramente, não há aprovação das empresas”.