IGP-M registra queda de 0,65% no primeiro decêndio de agosto

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) caiu 0,65% no primeiro decêndio de agosto, ficando abaixo da apuração de 0,40% observada no mesmo período do mês anterior, segundo informações divulgadas pela Fundação Getúlio Vargas nesta segunda feira (12).

O IGP-M é utilizado como base para a correção de contratos, como por exemplo de aluguéis de imóveis, e sofre com as oscilações do dólar e cotações internacionais, além das commodities.

Para o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) a houve um recuo de 1,02% no período analisado, ante alta de 0,42% em julho. Na análise por estágios de processamento, a taxa do grupo Bens Finais caiu 0,72% no período.

‘’O índice correspondente aos Bens Intermediários intensificou a queda em sua taxa, passando de -0,49% no primeiro decêndio de julho para -1,27% no primeiro decêndio de agosto. Contribuiu para o movimento o subgrupo materiais e componentes para a manufatura cuja taxa passou de 0,65% para -1,39%’’, afirmou a Fundação.

Já a taxa do índice de Matérias-Primas Brutas foi o que mais surpreendeu pela dimensão da queda, indo de e 1,86% no primeiro decêndio de julho para -1,06% no primeiro decêndio de agosto. Minério de ferro (5,50% para -0,40%), milho (em grão) (4,46% para -3,04%) e soja (em grão) (0,54% para -1,93%). Em sentido oposto, vale citar aves (-1,77% para 3,63%), laranja (-9,48% para 0,25%) e trigo (em grão) (-0,17% para 0,70%), foram os itens que contribuíram para o movimento.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) variou 0,04% no primeiro decêndio de agosto, ante -0,02% no mês anterior. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação.

Habitação -0,07% para 0,31%
Transportes -0,60% para -0,22%
Saúde e Cuidados Pessoais 0,32% para 0,40%
Despesas Diversas -0,05% para 0,05%
Educação, Leitura e Recreação 0,51% para -0,36%
Vestuário 0,25% para -0,08%
Comunicação 0,24% para 0,00%
Alimentação -0,03% para -0,06%

Segundo a FGV, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,11% no primeiro decêndio de agosto, taxa inferior a apurada no mês anterior, quando o índice havia subido 1,22%. ‘’Os três componentes do INCC registraram as seguintes taxas da variação na passagem do primeiro decêndio de julho para o primeiro decêndio de agosto: Materiais e Equipamentos (-0,22% para 0,17%), Serviços (0,22% para 0,33%) e Mão de Obra (2,39% para 0,04%)’’, explicou.