Indicadores econômicos: IPC; vendas do varejo restrito; estimativa para a safra de grãos e mais

A Fipe divulgou o IPC referente à primeira quadrissemana de julho, abrindo nossa agenda doméstica de indicadores domésticos desta quinta-feira (11).

O resultado revela alta de 0,17% e representa uma razoável aceleração ante ao resultado de junho, quando totalizou 0,15%.

Logo mais, o IBGE informará as vendas do varejo restrito e ampliado relacionado ao mês de maio, assim como estimativas para a safra de grãos.

Lá fora, a agenda de indicadores externos reserva destaque para os Estados Unidos com a publicação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) pelo Departamento do Trabalho (junho).

Além disso, o órgão publicará o n´mero de pedidos de auxílio-desemprego.

Posteriormente, o departamento do Tesouro divulgará o resultado fiscal do mês passado (junho).

No continente asiático, está prevista para a noite de hoje (no horário de Brasília) a divulgação da balança comercial chinesa.

Tarda mas não falha

Nos EUA, o assunto é o mesmo: quando que o banco central norte-americano irá cortar os juros pela primeira vez em dez anos? Hoje, Powell fala no Senado e qualquer chance de escutá-lo deve ser monitorada, em especial após ter afirmado que a atividade por lá esteja fraca. O apelo é de que ocorra o quanto antes, já que o início do processo pela maior economia do mundo desencadeia uma série de estímulos de outros bancos mundo afora. Todos estão cientes dos efeitos da guerra comercial e não desejam ver o maior período ininterrupto de crescimento já registrado desandar – pode até desacelerar, mas os BCs farão o que estiver aos seus alcances para segurar as economias.

O corte nos juros lá fora só deve impulsionar ainda mais a comemoração que está começando por aqui, que faz a Bolsa renovar recordes e o dólar ser pressionado para baixo. No Brasil, o ritmo é de festa e até emocionante (com direito a choro de Maia) após uma aprovação da reforma de lavada na Câmara. A vantagem amplia a chance de vermos avanços no segundo turno que ainda depende da conclusão da apreciação dos destaques – que são os pontos de atenção e tiveram sua votação suspensa inesperadamente ontem. É amigos, aos trancos e barrancos, com uma duvidosa capacidade de articulação política, muitas vezes com falta de foco do governo, o projeto segue avançando e, de quebra, ainda deverá passar antes do recesso parlamentar.

Por Glenda Ferreira – Especialista em Investimentos na Levante Ideias de Investimentos