Início das reuniões do Fed e Copom; Índice de expectativas econômicas da Alemanha e mais

Com o início das reuniões do Fed e do Copom, o mercado se prepara para amanhã.

Nessa terça-feira (17), o instituto alemão ZEW apontou um avanço no índice de expectativas econômicas da Alemanha, que passou de -44,1 pontos em agosto para -22,5 em setembro.

A projeção de analistas consultados pelo The Wall Street Journal era de alta, mas bem mais singela, para -38 pontos.

Em contrapartida, o índice das condições atuais medido pelo ZEW contraiu de 13,5 pontos em agosto para 19,9 em setembro.

Nesse caso, a projeção de redução era menor, a -15.

Na China, os investimentos diretos do exterior somaram, em média, US$ 69,77 bilhões entre janeiro e agosto.

Esse montante representa um avanço de 2,7% na comparação anual com 2018.

Segundo o Ministério de Comércio chinês, entre janeiro e julho, esses investimentos haviam expandido 3,3% na comparação anual.

Irresoluções 

A terça-feira amanhece ainda de olho nos efeitos do ataque na Arábia Saudita. Como ainda não se sabe quando a produção de petróleo voltará a ser normalizada, nem qual é o efetivo impacto geopolítico, o clima continua tenso. O dólar, por exemplo, continua em alta pelo mundo todo. Outro empasse para ficar de olho é no Reino Unido, onde o primeiro-ministro britânico passou por um novo revés. Boris Johnson vem afirmando que um Brexit com acordo ocorrerá, porém ontem, não participou de uma coletiva de imprensa e o premiê de Luxemburgo disse o que todos suspeitam, que o governo britânico não apresentou nenhuma solução para uma saída negociada e que “as pessoas precisam saber o que vai acontecer com elas daqui a seis semanas” (data da possível saída).

Por aqui, qualquer risco de manipulação nos preços de combustíveis pela Petrobras, será acompanhada de perto pelos investidores. A estatal vem repassando ao mercado interno (desde o governo Temer) as alterações no câmbio e do preço do barril de petróleo nos mercados internacionais, e qualquer interferência que faça com que a companhia segure os preços, poderá ser mal vista. Por ora, no curto prazo, não haverá o repasse. Além disso, Bolsonaro volta ao seu cargo após ter alta de cirurgia e já confirmou que viajará a Nova York e que fará o discurso de abertura da Assembleia-Geral da ONU.

Por Glenda Ferreira – Especialista em Investimentos na Levante Ideias de Investimentos