IPCA 2020: projeção cai pela 8ª vez seguida, para 3,20% e estimativa do dólar sobe a R$ 4,15

A mediana das projeções dos economistas do mercado para o IPCA 2020 caiu mais uma vez, de 3,22% para 3,20%. Essa foi a oitava vez seguida que a inflação oficial foi revisada para baixo, conforme o Relatório Focus, do BC.

De acordo com as estimativas coletadas até o final da última semana, o ponto-médio das projeções para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) 2021 foi mantido em 3,75%.

O indicador segue neste nível praticamente desde que a meta de inflação foi definida. Para o IPCA dos próximos 12 meses, a pesquisa indicou um avanço de 3,43% para 3,52%.

meta de IPCA 2020 a ser perseguida pelo BC é de 4,00%, 3,75% em 2021 e 3,50% para 2022. Em todos os casos, há um intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Assim também, o Bank of America (BofA) revisou sua projeção para o IPCA 2020, de 3,6% para 3,2%. Além disso, o banco avaliou que o balanço de riscos sugere que a variação pode ser ainda menor.

Para o ano que vem, a estimativa da instituição monetária passou de 3,7% para 3,6%. De acordo com o Valor Investe, a equipe do BofA indica a nova cesta de itens do IPCA, baseada na Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018, como um novo fator baixista no cenário benigno para a inflação brasileira este ano.

Adicionalmente, a dinâmica benigna dos núcleos de inflação reflete a ociosidade da economia. Quanto à nova cesta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, que reflete mudanças nos hábitos de consumo dos brasileiros, o BofA acredita que as mudanças, de maneira geral, devem trazer o índice ligeiramente para baixo.

Leia mais:

Aliança pelo Brasil; coronavírus puxa queda em valor de mercado e mais destaques de hoje

Empresas do Ibovespa perdem R$ 257 bilhões em valor de mercado na volta do Carnaval

Tesouro Direto tem saídas de R$ 958 milhões em janeiro