Prévia do PIB brasileiro, PIB japonês e mais indicadores econômicos

Hoje é o último dia de resultados corporativos relacionados ao terceiro trimestre, mas o mercado também vai acompanhar a divulgação do IBC-Br, pelo Banco Central. O indicador é considerado uma prévia do PIB e trará os dados relacionados ao mês de setembro.

O setor varejista britânico frustrou a expectativa de analistas ao revelar um recuo de 0,1% em outubro no segmento.

Analistas previamente consultados pelo The Wall Street Journal acenaram para a previsão de alta em 0,2% nas vendas.

Conforme dados publicados pelo Escritório Nacional de Estatísticas (ONS, na sigla em inglês) do país, o varejo do Reino Unido ampliou as vendas em 3,1%.

Por mais que o resultado do mês de outubro tenha sido positivo, o mercado projetava um avanço mais acentuado (3,7%).

A China, que vive um impasse no acordo comercial com os Estados Unidos, reportou um crescimento de 10,8% nas vendas de moradias nos 10 primeiros meses do ano frente ao ano anterior.

De acordo com o Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês), o avanço mostra aceleração no setor imobiliário.

Apenas entre janeiro e setembro, as vendas haviam contabilizado um anual menor, de 10,3%.

Em contrapartida, os investimentos no desenvolvimento de projetos imobiliários tiveram expansão anual de 10,3% entre janeiro e outubro, o que representa uma contração na comparação com o acréscimo de 10,5% no acumulado até o mês de setembro.

Segundo a Dow Jones Newswires, as construções chinesas iniciadas (residências e comerciais) cresceram 10% ante janeiro-outubro do ano passado.

Por outro lado, esse mesmo índice havia avançado 8,6% entre janeiro e setembro.

Ainda no continente asiático, o Japão viu seu PIB crescer 0,2% na comparação anual do 3T19.

A véspera de feriado começa com um tom de cautela. Os dados mais fracos na Ásia acendem um sinal amarelo ao investidor internacional. A produção industrial chinesa veio em 4,7 por cento (abaixo da previsão de 5,2 por cento) e as vendas no varejo também vieram abaixo da expectativa do mercado em 7,2 por cento. Além disso, o PIB japonês também decepcionou mostrando um crescimento aquém do esperado, a economia avançou 0,2 por cento no trimestre enquanto o esperado era de 0,8 por cento. Tudo isso sem uma definição de qual será acordo entre EUA e China, ou se haverá qualquer tipo de acordo, já que Trump tem mantido o seu discurso ambíguo e confuso.

Por Glenda Ferreira – Especialista em Investimentos na Levante Ideias de Investimentos