Ações da Taurus caem mais de 4% após governo alterar decreto de armas

As ações da Taurus estão caindo a mais de 4% após o governo voltar atrás, nesta quarta (22), nas decisões sobre o decreto de armas e munição e vetar o porte de fuzis, carabinas ou espingardas para cidadãos comuns.

LEIA O NOVO DECRETO NA ÍNTEGRA

Na última terça feira (21), as ações da Taurus fecharam o dia com alta de 7,6% depois de a empresa ter afirmado a rede Globo que estava apenas esperando regulamentações no decreto para começar a vender fuzis.

Com as mudanças, existe agora a diferença entre armas de porte e portáteis, e ficou estabelecido que ”a autorização para portar arma de fogo […] não será concedida para armas de fogo portáteis e não portáteis”.

Podem ser classificadas como armas de porte as pequenas, como pistolas, revólveres e garruchas, enquanto fuzis, carabinas e espingardas entram na lista de portáteis. Armas não portáteis são as que precisam ser carregadas por mais de uma pessoa devido ao seu peso ou com a utilização de veículos.

Cerca de 15h35, do horário de Brasília, as ações da Taurus estavam sendo cotadas no Ibovespa com queda de 3,53% e preço de compra por ativo de R$ 3,54