B3 (B3SA3) – resultado operacional de maio de 2019

O resultado operacional de maio da B3 foi bom, mas desacelerou em relação à média do primeiro trimestre de 2019.

O volume médio diário no segmento listado de ações (Bovespa) foi de 15 bilhões de reais no mês, um crescimento de +5,8 por cento em relação a maio de 2018, mas 8 por cento abaixo da média de 16,3 bilhões de reais do primeiro trimestre de 2019.

No segmento listado de juros, moedas e mercadorias (BMF), houve queda de -16,3 por cento no volume de contratos no mês em relação ao mesmo período de 2018, que foi mais do que compensado pelo forte aumento de +32,2 por cento na receita média por contrato no período.

E Eu Com Isso?

Esperamos impacto neutro no preço das ações da B3 (B3SA3) no curto prazo.

A base de comparação de maio de 2018 era bastante alta devido à maior volatilidade na Bovespa provocada pela greve dos caminhoneiros. O volume no segmento listado de ações foi de 14,2 bilhões de reais em maio de 2018, bem acima da média de 2018 (12,3 bilhões de reais).

O mês de maio de 2019 também foi bastante volátil, com o Ibovespa oscilando entre 90 mil e 97,5 mil pontos, mas o volume não foi tão forte devido à cautela dos investidores em relação à aprovação da reforma da Previdência.

Com isso, o Ibovespa fechou em alta de apenas +0,7 por cento em maio de 2019, o que explica a desaceleração no ritmo do crescimento de volume na Bolsa em maio em relação ao primeiro trimestre de 2019.

O segmento listado de ações (Bovespa) poderá ter maior participação da receita em 2019, principalmente com a retomada dos processos de abertura de capital (IPO).

O principal catalisador para as ações da B3 é o processo de aprovação da reforma da Previdência, que, quando for finalmente concluído, deverá trazer um forte ingresso de capital estrangeiro na Bolsa, bem como aumento da alocação do investidor local em ações.

No mês de maio, os fundos de investimento em ações tiveram captação líquida de 2,4 bilhões de reais, somando 19,8 bilhões de reais em 2019. O total investido em fundos de ações era de 349,5 bilhões de reais em maio de 2019, equivalente a 7,1 por cento do total de fundos de investimento no Brasil (5,7 por cento em maio de 2018).

Leia mais:

‘Vaza-Jato’ gera transtorno em Brasília; cresce em 60% investidores pessoas físicas ativos na Bolsa e mais