Embraer (EMBR3) – Bolsonaro não veta acordo com Boeing

Depois de muita expectativa, a fusão entre a Embraer e a norte americana Boeing não foi vetada por Bolsonaro, ou seja: na prática, isso representa o aval do presidente para a operação. As tensões aumentaram na última sexta-feira (04) depois que o presidente disse que estava preocupado com a parceria – a posição fez que as ações da Embraer caírem mais de 5 por cento no dia.

Baixe o E-book O Guia Completo de Como Ter Sucesso Nas Operações de Day Trade

E Eu Com Isso?

As ações da Embraer (EMBR3) sofreram nesse começo de 2019 e acumulam queda de mais de 3 por cento, bem diferente das estatais, que tiveram excelente começo de ano, e também do índice Ibovespa, que acumula alta de 6,7 por cento. Hoje, esperamos um impacto positivo no preço: as ações da companhia negociadas nos EUA (ADRs) fecharam em forte alta de 4,5 por cento.

Baixe o Infográfico: 5 motivos – Por Que Investir na Bolsa Agora É Um Bom Negócio

Com a aprovação do presidente, a operação agora passará para aprovação da própria companhia, fato que deve ocorrer sem grandes surpresas. Ainda mais com a provável distribuição de dividendos extraordinários no valor entre 1,6 e 1,7 bilhão de dólares aos seus acionistas.

A primeira etapa do acordo é apenas na aviação comercial, com produção de aviões de 50 a 150 passageiros. Uma provável segunda parceria envolve a produção de um cargueiro de uso militar (KC- 390). Os ganhos de sinergia de custos na operação são estimados em 150 milhões por ano.

Relatório gratuito – Petrobras: O petróleo é nosso

Para a Boeing, é um ótimo negócio, visto que a empresa entrará no negócio de aviões até 150 passageiros, seja via a parceria com a Embraer ou de outra forma. Para a Embraer, também é um ótimo negócio, visto que a empresa ganhará uma visibilidade internacional com um grande nome de peso e evitará que a Boeing vire sua concorrente.

 Relatório gratuito – Banco do Brasil: O gigante acordou