Embraer entrega 181 jatos em 2018, queda de 14% ante a 2017 e ações reagem negativamente

Em uma semana marcada pela divulgação de resultados por, pelo menos, 15 companhias listadas na B3 referentes ao quarto trimestre de operações, a Embraer (EMBR3) divulgou na manhã de hoje (11) a entrega de 181 jatos em 2018.

Baixe o E-book O Guia Completo de Como Ter Sucesso Nas Operações de Day Trade

O quarto trimestre da companhia aérea marcou uma entrega de apenas 33 jatos comerciais e 36 jatos executivos. Um ano antes, no mesmo período trimestral, a Embraer havia somado uma entrega de 23 e 50 unidades, respectivamente. Em 31 de dezembro do ano passado, a carteira de pedidos firmes a entregar totalizava US$ 16,3 bilhões, revelando uma queda de 11%.

Esse acumulado representa uma queda de 14% quando comparado ao mesmo período do ano anterior, período em que a companhia entregou 210 jatos, de acordo com um relatório anual divulgado pela própria Embraer em 2017.

Baixe o Infográfico: 5 motivos – Por Que Investir na Bolsa Agora É Um Bom Negócio

Desses 181 jatos entregues, 90 são jatos comerciais, saldo que equivale a um recuo de 11%. Apesar do índice negativo, o número de unidades comerciais entregues em 2018 está dentro da faixa estimada pela própria companhia em encontro com investidores e analista na Bolsa de Valores de Nova York: a projeção indicava uma variação entre 85 a 95 aviões comerciais.

Baixe o e-book: Desvendando o swing trade: tudo o que você precisa saber!

Em termos de aeronaves executivas, a companhia revelou que 91 unidades foram entregues em 2018. Dessas, 64 jatos eram leves e 27 grandes, derrubando os resultados para aquém da previsão (entre 105 a 125). A mesma categoria de unidades totalizou 109 entregues em 2017.

Relatório gratuito – Banco do Brasil: O gigante acordou

Na abertura do pregão desta segunda-feira (11), os papéis da companhia operavam em baixa de 0,58%, negociados a R$ 18,83.

O efeito negativo responde também à acusação d’A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que na semana passada abriu um Processo Administrativo Sancionador (PAS) contra o diretor de relações com investidores da Embraer, Nelson Krahenbuhl Salgado. O executivo é acusado de ter divulgado de forma incompleta o fato relevante que anunciou os termos do acordo com a Boeing, podendo levar os investidores a uma interpretação errônea.

Relatório gratuito – Petrobras: O petróleo é nosso