Gol anuncia medidas de reestruturação para driblar efeitos da pandemia

A empresa área Gol (GOLL4) informou ao mercado que adotará medidas de reestruturação temporária para driblar os impactos econômicos do coronavírus.

Em resposta ao ofício enviado pela Superintendência de Relações com Empresas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a companhia explicou sobre a redução da jornada e o corte nos salários.

Ficou decidido que os salários da cúpula executiva (os diretores, vice-presidentes e o presidente) serão reduzidos em 40% nos meses de abril, maio e junho.

No mesmo sentido, a jornada dos colaboradores internos e aeroviários sofrerá um corte de 35%, acompanhados da mesma baixa percentual no salário e nos benefícios.

Além disso, a equipe da área administrativa realizará trabalhos home office e a companhia adiará para agosto o pagamento referente ao programa de participação de lucros e resultados de 2019.

A CVM questionou a Gol por não ter publicado a informação em um fato relevante por meio do sistema próprio da autarquia.

A empresa alegou que as medidas são apenas desdobramentos da redução de sua capacidade total, já prevista no comunicado divulgado dia 16 de março, cujos efeitos decorrem da propagação do vírus.

“A administração da companhia considera que as providências referidas na notícia não são, por si só, determinantes do ponto de vista financeiro para contrapor os efeitos da pandemia de Covid-19, e, portanto, não constituem fato relevante” – explicou a aérea.