Lucro da Estácio contrai 14,8% no 2T19, saldo é de 201,8 milhões

O lucro da Estácio (YDUQ3) contraiu 14,8% no segundo trimestre de 2019 ao somar R$ 201,8 milhões na base pro-forma.

De acordo com a empresa de educação, um dos principais responsáveis pelo respectivo desaquecimento são os efeitos fiscais não recorrentes.

Além disso, a concessão de maiores descontos após o Fies ter sido reduzido impactaram diretamente o resultado publicado.

Anteriormente, o lucro da Estádio foi afetado positivamente por reversão de IR e contribuição social referente ao benefício do POEB.

Sem esses efeitos, o lucro naquele período teria contabilizado R$ 179,9 milhões. Desse modo, o resultado do 2T19 saltaria 12%.

Em contrapartida, quando usado os ajustes contábeis pelo critério IFRS 16, o lucro no período somou R$ 194,8 milhões.

Seu Ebitda totalizou R$ 288 milhões, revelando um avanço de 1,6% em uma comparação anual. A margem atingiu 30,1%.

Com o IFRS 16, o Ebitda somou R$ 342 milhões, abaixo da previsão de analistas ouvidos pela Refinitiv (R$ 348,2).

Embora a holding controladora da companhia tenha passado a ser Ydugs a partir de julho, a marca Estácio foi preservada.

Assim sendo, a receita líquida do grupo atingiu R$ 957,2 milhões no segundo trimestre, indicando um recuo de 0,7%.

A queda foi atribuída ao cenário econômico adverso, à queda de alunos Fies e ao aumento de descontos, conforme publicação.

A base totalizou 576,4 mil alunos, 3,3% maior em 12 meses.

Para reagir à pressão nas receitas, a Estácio gastou 9% a menos em despesas gerais e administrativas (R$ 137,6 milhões).

Para conferir o Release de Resultados na íntegra, basta clicar aqui. Sua teleconferência de resultados acontecerá na manhã de hoje.