Lucro líquido da CVC recua para R$79,5 milhões no 3º trimestre e ações desabam na B3

Na esteira dos balanços corporativos do terceiro trimestre, a CVC Brasil divulgou um lucro líquido aproximadamente 3,6% menor do que o reportado no mesmo período de 2018, totalizando R$79,5 milhões.

De julho a setembro, a receita líquida aumentou 8,3%, alcançando o montante de R$449,6 milhões, contudo, as despesas operacionais do trimestre saltaram 26,4%, fechando em R$316,7 milhões.

No mesmo sentido, o lucro operacional foi de R$132,8 milhões, recuando 19,1% na comparação anual e o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) contábil caiu 15,5%, para R$161,2 milhões.

Segundo o Bradesco BBI, a operadora e agência de viagens apresentou um resultado mais fraco do que o esperado, sobretudo, em relação ao crescimento de apenas 3,1% nas reservas no Brasil, ante a expectativa de alta em 4,8%.

Já o lucro veio acima do previsto, em função do melhor desempenho da companhia na Argentina e com a progressiva redução de impostos.

Apesar dos desafios que a empresa está enfrentando (óleo no Nordeste, ambiente político e problemas com os cancelamentos de voos da Avianca), o Bradesco BBI continua com uma visão positiva para 2020 e recomendação outperform.

Na sessão de hoje, as ações da CVC (CVCB3) lideraram as perdas na B3, fechando em baixa de 10,86%, na cotação de R$46,19, com os investidores repercutindo os resultados.