Paulo Guedes inicia processo para privatizar o Banco do Brasil

A equipe econômica do governo, liderada pelo chefe do ministério, Paulo Guedes, está iniciando um processo que poderá resultar na privatização do Banco do Brasil (BBAS3), segundo o jornal O Globo.

Fontes que acompanham de perto o trabalho do ministro disseram que essa é a próxima meta do programa de desestatização do governo federal.

Contudo, o primeiro desafio a ser enfrentado por Guedes será convencer o presidente Jair Bolsonaro a autorizar a venda do banco público.

Isso porque, não está nos planos de Bolsonaro se desfazer da referida sociedade de economia mista, bem como da Caixa e da Petrobras.

A privatização do Banco do Brasil não seria realizada no curto prazo, mas podendo transcorrer até o final do mandato, em 2022.

Em nota, o ministério da Economia negou a informação, porém, o tema já tem sido alvo de discussões dentro do governo, chegando a ser abordada durante uma reunião do Programa de Parceria de Investimentos (PPI).

Ao que parece, Guedes deseja colocar o banco na lista de privatizações que será enviada ao Congresso já no próximo ano, porém, há certa resistência de Bolsonaro ao tema.

O próprio presidente do BB, Rubem Novaes, já havia se pronunciado favoravelmente à medida, chegando a afirmar que o processo de privatização será algo inevitável na instituição.

Segundo a consultoria Economática, o valor do mercado do BB atualmente é de R$133 bilhões, sendo que, destes, R$66 bilhões pertencem à União.

Na opinião do ministro, uma eventual privatização do banco poderá baratear e diversificar o acesso ao crédito no país, tendo em vista que o setor é muito concentrado e pouco competitivo da forma que atua.

Fontes próximas à Guedes comentaram que ele sabe a dificuldade em obter apoio dos parlamentares à medida, uma vez que, é necessário fazer uma lei específica autorizando a privatização.