Prejuízo da Embraer piora com entregas fracas; empresa mantém metas operacionais

Embraer, a maior fabricante mundial de aeronaves de médio porte, registrou um prejuízo líquido que veio pior do que as expectativas, em meio a vendas e entregas fracas nos segmentos executivo e comercial e à espera da aprovação dos termos da associação comercial com a americana Boeing.

Em fato relevante, a Embraer disse que, no primeiro trimestre, o prejuízo líquido atingiu R$160,8 milhões, pior que o consenso da TC News, de R$100 milhões em perdas. A última linha do resultado excluindo alguns itens, conhecida como prejuízo líquido ajustado, atingiu R$230 milhões, também acima da expectativa, de R$100 milhões de prejuízo.  No mesmo período do ano anterior, a Embraer teve prejuízo de R$130,4 milhões.

O EBITDA ajustado, uma medida de lucro operacional que tira as despesas com juros, impostos, depreciações e amortizações, veio em R$120,3 milhões, abaixo dos R$177,1 milhões registrados no mesmo período do ano anterior, porém acima dos R$104 milhões projetados no consenso. A receita líquida da empresa foi de R$3,121 bilhões no trimestre, abaixo dos R$3,45 bilhões do consenso Bloomberg, porém acima do dado de um ano atrás, de R$3,111 bilhões.

A empresa decidiu manter suas metas operacionais e financeiras para o ano inalteradas. O momento pouco promissor para as entregas de aeronaves e a incerteza quanto o futuro com a Boeing levaram o papel ON da Embraer a registrar perdas de quase 13% neste ano na B3 – o sétimo pior desempenho de uma ação do índice Bovespa no período.